18/02/2019 10:48

Arquiconfrarias, Associações, Irmandades...

Pode ser que, em algum momento, você já visto algum desses termos ou dele tenha ouvido falar. Mas, você sabe exatamente do que se trata? Sabe o que são? 

Bom, de maneira bem geral, podemos dizer que todos estes termos se referem a grupos de fiéis que se reúnem por um objetivo comum na Igreja Católica. Esse objetivo pode ser espiritual, como por exemplo, rezar diariamente o terço por uma intenção específica; pode ser um objetivo prático, como socorrer os sem-teto ou os idosos abandonados; ou ainda pode ser um objetivo que uma as duas coisas, a oração e a ação.  

Pois bem. Mas se todas são associações de fieis, por que têm nomes tão diferentes?  

Para entender o motivo pelo qual cada grupo tem uma nomenclatura diferente, seria preciso entender a história de cada associação. Em alguns países predomina mais o uso de determinado nome. Outras denominações derivam da época e do contexto em que aquele grupo foi fundado. Outros, ainda, de acordo com o objetivo da associação... Igualmente variados são os símbolos de cada um desses grupos. Alguns usam uma fita no pescoço que os identifica. Outros usam uma medalha. Há, ainda, grupos que usam um hábito, capa ou opa. Por quê essas diferenças? Volto a dizer: para compreender, é preciso conhecer a história daquele grupo. É impossível dar uma resposta geral... falamos de séculos de história e de grupos que nasceram no mundo todo. 

Mas, veja: longe de ser uma “bagunça” ou de isso ser um empecilho, essas grandes diferenças são uma enorme riqueza para a Igreja. Você deve conhecer muitos desses grupos. Quanto bem faze à Igreja grupos como o Apostolado da Oração, a Legião de Maria, a Irmandade de São Benedito, a Irmandade do Santíssimo, os Congregados Marianos, os Vicentinos, as tantas Ordens Terceiras e Fraternidades ligadas a alguma Ordem ou Congregação... E claro, a nossa Arquiconfraria do Sagrado Coração de Jesus em Sufrágio das Almas, criada para a oração pelos falecidos e para o compromisso com a missão e a caridade.  

Não podemos deixar de ver nisso tudo a ação do Espírito Santo que não cessa de renovar a Igreja. Cada grupo com sua história, com suas tradições, e com seu apostolado. Alguns se dedicando à oração, outros à ação. É a imagem do Corpo Místico de Cristo, que é a Igreja. Como os membros são diferentes, assim também são muitos os jeitos de seguir Jesus Cristo. Bendito seja Deus, que nos atrai cada vez mais para a unidade em meio a tanta diversidade!