07/03/2019 08:27

Santas Perpétua e Felicidade

Santa Perpétua e Santa Felicidade: uma nobre e uma escrava. O que sabemos sobre as origens das duas é pouco, porém digno de reconhecimento. Perpétua era nobre da cidade de Cartago, no Norte da África. Felicida de era escrava de Perpétua, também de Cartago. As duas tinham por volta de 20 anos e eram cristãs numa região dominada pelo império romano, em tempos de perseguição contra os cristãos.

Perpétua era rica, de família tradicional e nobre. Seu pai era pagão. Quando da prisão,ela tinha apenas vinte e dois anos e era mãe de um bebê recém-nascido. Felicidade,sua escrava, estava com oito meses de gravidez.

As duas foram presas no ano 203, por ordem do imperador romano Severo, pelo simples fato de serem cristãs. Severo, cujas origens familiares também estavam na África, tinha emitido um decreto de pena de morte aos cristãos. As duas sofreram as atrocidades da prisão unidas pela fé, em oração e dando força uma a outra.

Permitiram a Perpétua que levasse consigo o filho para o cárcere. Chegado o  interrogatório, ambas confessaram abertamente a fé e foram condenadas a serem lançadas às feras no aniversário do imperador Geta. A mãe foi então separada do seu filho. "Deus permitiu que ele não voltasse a pedir o peito e que ela não fosse mais atormentada com o leite”, escreveu Perpétua no diário que foi fazendo até o dia da sua morte. Narra em seguida uma visão em que lhe apareceu seu irmão Dinócrates, ao sair do Purgatório graças às suas orações, e outra em que lhe foi prometida a assistência divina no último combate.

Felicidade receava que, devido ao seu estado, não lhe permitissem morrer com a companheira, mas, três dias antes dos espetáculos públicos, deu à luz. Como as doresdo parto lhe arrancassem gritos, um dos carcereiros observou-lhe: "Se tu te lamentas já dessa maneira, que será quando fores lançada às feras?”. “Hoje sou eu que sofro,nesse dia, sofrerá por mim aquele por quem eu sofro”, respondeu.

Deu à luz umamenina que foi adotada por uma mulher cristã. Perpétua e Felicidade entraram alegremente no anfiteatro. Envolveram-nas numa rede e entregaram-nas às arremetidas duma vaca furiosa. O povo cansou-se depressa dever torturar as duas jovens mães, uma das quais ia perdendo o leite, e pediu que seacabasse com aquele espetáculo. Abraçaram-se então pela última vez. Felicidaderecebeu o golpe de misericórdia impavidamente. Perpétua caiu nas mãos dum gladiador desastrado que falhou o golpe, "tendo-se visto ela própria na necessidade dedirigir contra o pescoço a mão trêmula do gladiador inexperiente”. Estes martírios deram-se na era de 203.

Santas Perpétua e Felicidade, roguem por nós!