18/03/2019 14:25

São José, exemplo e padroeiro dos amigos do Coração de Jesus

Quem frequenta o Santuário das Almas, sede da Arquiconfraria, sabe que à esquerda da nave principal há uma capela onde celebramos as missas durante a semana. Nela há uma bonita imagem de São José que, via de regra, está sempre enfeitada de flores.

Não é de se admirar que esteja ali. Os padres que trabalham neste Santuário são Missionários do Sagrado Coração (MSC). E a Arquiconfraria também bebe desse carisma inspirado por Deus ao jovem padre francês Júlio Chevalier, que viveu no século XIX. A razão de a Congregação dos MSC estar tão ligada à São José se deve à experiência da sua fundação, no ano de 1854. Veja o que dizia o nosso Fundador:

"Nossos começos foram trabalhosos; alojados como Jesus no estábulo que transformamos em capela, faltava-nos tudo. Nossa escola foi a escola da privação; carecíamos das coisas mais simples. Durante algum tempo, fomos nós mesmos os cozinheiros e só Deus sabe os belos cozinheiros que éramos! Nós mesmos não somente nos encarregávamos do cuidado e da limpeza da casa, como também da capela. Todos os dias ou várias vezes por semana, antes da chegada dos fieis, com alegria, varríamos a casa do Senhor e colocávamos tudo em ordem.

O divino Coração de Jesus abençoava nossos esforços; os fieis, em grande número, assistiam às cerimônias; mas, infelizmente, um acidente veio de repente perturbar a nossa alegria; um lado inteiro da parede da capela, do lado de São José, ruiu durante a noite. De que jeito reconstruí-la? Dinheiro não tínhamos; dirimo-nos ao glorioso esposo de Maria, a esse amigo tão fiel do Coração de Jesus. E assim lhe falamos:

- O desastre aconteceu do seu lado da capela, então compete a você reconstruir isso!

Nossa oração foi ouvida: uma alma caridosa ofereceu-nos, inesperadamente, o dinheiro suficiente para restaurar o que desabara..." (Pe. Júlio Chevalier, Anais da Pequena Sociedade)

"Além disso, como São José foi apoio, amigo e defensor do Coração de Jesus e de Nossa Senhora, a Congregação colocará suas casas, agora e no futuro, debaixo da custódia deste insigne protetor, e o reconhecerá sempre como seu Dono e Provedor."  (Pe. Júlio Chevalier, Constituições MSC de 1877, nº 453)

Sempre se teve uma forte devoção a São José em nossas casas e na Arquiconfraria não poderia ser diferente. Não deixemos, neste e em todos os outros meses, de honrá-lo de maneira especial.

São José, rogai por nós!